No momento em que Mato Grosso se consolida como um dos maiores exportadores de algodão do mundo, o cotonicultor há mais de 20 anos na atividade, Paulo Sérgio Aguiar, assume a condução da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa). A solenidade de posse aconteceu na noite de quarta-feira (27), em Cuiabá, com a presença de representantes do Poder Público e de demais entidades que atuam em prol do desenvolvimento do setor agropecuário no Estado.
“Temos que comemorar o sucesso da entidade. Vivemos uma escalada de produção e de aumento de área da cotonicultura em Mato Grosso. Minha visão é tentar manter o setor ao nível que estamos e, se possível, ampliá-lo. Mas temos muitos desafios. O maior, no momento, é o mercado, mas ainda há problemas burocráticos e fiscais que precisam ser enfrentados. Vamos fazer o dever de casa, olhar para dentro da porteira e ajustar os custos para poder evoluir ainda mais”, declarou o novo gestor da Ampa, cujo exercício se dará pelo triênio 2020-2022.

Paulo Aguiar recebeu a associação das mãos do produtor Alexandre Schenkel, do município de Campo Verde. Presidente da entidade desde 2017, ele comemorou o momento que a cotonicultura mato-grossense vive no cenário mundial, tendo em vista o boom de exportação registrado no mês de outubro, quando mais de 273 mil toneladas da pluma brasileira seguiram para o mercado exterior, com Mato Grosso correspondendo a 60% desse total.
“Os dois últimos anos, do mercado internacional, favoreceram a evolução da cultura. Mas nós não teríamos este crescimento, sem os bons trabalhos que ocorreram no passado. Abrir mercados e promover a exportação facilitaram o caminho. Isso é mérito do produtor, do colaborador e da pesquisa. O algodão é uma grande família reunida em prol da eficiência”, avaliou Alexandre Schenkel.
Em seu discurso de posse, o novo presidente agradeceu o empenho devotado pelos gestores anteriores, além de sua dedicação e desprendimento ao conduzirem a entidade. Também lembrou das autoridades que apoiaram o cultivo do algodão no Estado com a criação do Programa de Incentivo ao Algodão de Mato Grosso (Proalmat). “Se não fossem essas autoridades, parceiros, pessoas, talvez não teríamos chegado até aqui”. Mato Grosso planta mais de 1 milhão de hectares de algodão, cujo resultado é uma produção de quase 2 milhões de toneladas de pluma.
Social – Outra meta da nova equipe gestora da Ampa é dar sequência às atividades de responsabilidade social. Seguem os investimentos em projetos como as doações para o enxoval necessário aos leitos do Hospital de Câncer de Mato Grosso; o projeto Japuíra, que forma costureiros em comunidades carentes do Estado para geração de renda; os aportes a iniciativas culturais de crianças e jovens músicos, entre outros.
Também foram empossados todos os demais 11 membros da diretoria da Ampa, assim como os seis conselheiros fiscais da entidade, entre titulares e suplentes.
Prestigiaram a solenidade de posse o vice-governador de Mato Grosso, Otaviano Pivetta, o líder da Bancada Federal do Estado, o deputado Neri Geller, os deputados estaduais Janaína Riva, Xuxu Dalmolin e Paulo Roberto Araújo, além de presidentes de entidades nacionais e estaduais do agronegócio.

 

Redação cuiabáhoje com informações Dialum Assessoria