08/11/2018 – A Polícia Federal apura atuação de “organização criminosa” na Câmara e no Ministério durante governo Dilma, envolvendo JBS e políticos do MDB. Joesley já havia sido preso em setembro do ano passado.A Polícia Federal (PF) prendeu nesta sexta-feira (09/11) o empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, e dois ex-ministros da Agricultura do governo Dilma Rousseff – Antonio Andrade (MDB), atual vice-governador de Minas Gerais, e Neri Geller (PP), deputado federal eleito em outubro – por suspeita de participação num suposto esquema de corrupção na pasta.

Preso nesta manhã em Rondonópolis (200 km de Cuiabá), o deputado federal eleito e ex-ministro de Agricultura Neri Geller participaria nesta manhã do evento “Mais Milho – 2018/2018”, no município. O Mais Milho é um dos principais eventos do país voltado para esse tipo de cultura.

A Polícia Federal, em nota, informou que apurou a atuação de “uma organização criminosa na Câmara dos Deputados e no Ministério, integrada por empresários e executivos de um grande grupo empresarial do ramo de processamento de proteína animal”.

Neri Geller deveria compor o primeiro painel do dia,  no evento que  ocorre no auditório do Parque de Exposições Wilmar Perez de Farias, em Rondonópolis. com o tema “Avaliação dos cenários político e econômico para 2019”. Ele debateria sobre os desafios após os resultados desta eleição.

De acordo com a programação, a mesa redonda é formada pelo jornalista e colunista do LIVRE Augusto Nunes, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, o senador José Medeiros, recém-eleito deputado federal, a senadora eleita Selma Arruda, o senador Wellington Fagundes e o deputado federal eleito Leonardo Ribeiro Albuquerque.

 

Da Redação Cuiabahoje /Foto; Reprodução