30/06/2016 – A Comissão Executiva Nacional do PSB referendou, por unanimidade, nesta quinta-feira, 29, a nomeação do deputado federal Valtenir Pereira para a presidência estadual do partido no Mato Grosso.

O deputado assinou ficha de filiação ao PSB no dia 14 de junho, retornando ao partido, e assumiu a presidência do diretório estadual por ato do presidente nacional Carlos Siqueira, ad-referendum da Executiva Nacional, o que aconteceu nesta quinta-feira.

Defensor público licenciado, Valtenir cumpre seu terceiro mandato como deputado federal, sendo duas vezes eleito pelo PSB (2007-2011;2011-2015). Filiado pela primeira vez em 2005, dois anos depois assumiu a presidência do PSB estadual.

Em duas gestões (2007-2013), o socialista organizou o partido e ampliou a sua presença no Estado, passando de sete direções municipais para 141, e de apenas um prefeito para 13 prefeitos, 10 vices e 90 vereadores.

Como presidente, Valtenir Pereira apoiou a candidatura de Mauro Mendes ao governo do Estado e conduziu a campanha vitoriosa do empresário para a prefeitura de Cuiabá, em 2012. Em seis anos, o partido cresceu também em número de filiados, saindo de 6.568 para 14.224.

Os números foram citados pelo deputado durante a reunião desta quinta-feira. Após um breve relato de sua trajetória no PSB, Valtenir falou sobre a satisfação que teve ao receber o convite para retornar à legenda. “Não tive dúvidas de assumir, de vir para ajudar o partido, pra votar com o partido e seguir as suas orientações”, afirmou.

Em uma carta aberta distribuída nesta semana, Valtenir Pereira afirma que assume o comando do partido “a fim de organizar a nossa legenda no Estado para os futuros embates políticos”.

“Os que tiveram a oportunidade de conviver comigo no PSB sabem que tenho história na construção desse partido e na formação política de seus filiados”, lembrou.

Na mensagem aos filiados e militantes, o socialista disse que se orgulha de afirmar que em sua gestão “o partido não abandonou os movimentos sociais e, ainda, a juventude, o movimento de mulheres, os sindicalistas, o movimento popular e o movimento negro tinham voz e vez dentro do PSB. A nossa militância socialista é a maior riqueza coletiva do partido”.

Ele reafirmou que seu retorno ao PSB “significa um reposicionamento do partido, uma reconciliação com as ruas, longe das benesses do poder. A nossa luta será para conquistarmos o poder em 2018, para fazê-lo funcionar em benefício dos que mais precisam do Estado, os mais carentes”.

Assessoria de Comunicação/PSB Nacional