07/11/2018 – A equipe de transição montada pelo governador eleito Mauro Mendes (DEM) está debruçada sobre a situação econômica de Mato Grosso, analisando dados das secretarias, cargos comissionados e serviços prestados. A ideia é apresentar já em dezembro um redesenho da estrutura de governo muito mais enxuta. Atualmente, o Paiaguás tem 25 secretarias.

A equipe de transição tenta encontrar uma fórmula para diminuir o tamanho do Estado sem prejudicar o serviço prestado ao cidadão. Eficiência é a palavra de ordem ditada por Mauro Mendes, que é o coordenador geral da transição.

“Sabemos que o Estado está passando por uma grave situação financeira e é preciso que daqui para frente possamos equilibrar receita e despesa. Por isso a importância da comissão conseguir identificar onde poderemos fazer esses cortes de cargos e secretarias, desde que não comprometam a qualidade do serviço prestado”, explicou Mauro Mendes por meio da assessoria de imprensa.

A redução do número de secretarias e o corte do número de comissionados são duas das principais metas da comissão, que vem trabalhando desde o mês passado e visa elaborar um diagnóstico profundo da atual situação do Estado.

Mauro nomeou onze subcoordenadores, que foram incumbidos de trazer novos membros para colaborar nos trabalhos. São eles Otaviano Pivetta, Gilberto Figueiredo, Pascoal Santullo Neto, Mauro Carvalho Junior, Francisco Serafim de Barros, Marcelo de Oliveira e Silva (Marcelo Padeiro), Margareth Busetti, Rafael Bello Bastos, Mauren Lazaretti, Adriano Silva e Salete Morockoski.

“O trabalho da comissão também visa identificar toda e qualquer oportunidade de redução de despesas de custeio e alternativas para conseguir dinheiro novo. Não haverá espaço para gastos desnecessários. O momento é de economia e de usar cada centavo do dinheiro arrecadado em prol do cidadão”, afirmou o governador eleito.