O Complexo Hospitalar Jardim Cuiabá não atenderá mais usuários do plano de saúde Agemed. A medida passou a valer a partir desta segunda-feira (11), já que, tanto médicos quanto usuários, reclamam da falta de assistência da operadora de saúde, que se encontra em situação de falência.

Além do Jardim Cuiabá, outros hospitais também já anunciaram o descredenciamento da operadora, entre eles o Hospital Infantil e Maternidade Femina e o Hospital São Mateus. Ao todo 25 mil pessoas são atendidas pelo plano de saúde em todo o Estado.

Em um grupo de Facebook usuários reclamaram da falta de atendimentos, principalmente na Capital. Uma usuária chegou a contar que está com cirurgia marcada, no entanto, não sabe se conseguirá fazê-la, visto que o plano de saúde está passando por momento de instabilidade. A mulher chegou, inclusive, a recomendar aos demais usuários fazerem uma reclamação na Agência Nacional de Saúde (ANS) para relatar a situação.

Na mesma postagem, uma médica disse que a clínica na qual trabalha está há mais de um ano sem receber, o que levou ao descredenciamento do plano médico.

Por meio da assessoria de imprensa, o Conselho Regional de Medicina (CRM) informou que notificou a empresa, no entanto, não obteve resposta. Quanto ao descredenciamento dos médicos, o conselho também preferiu não interferir por se tratar de uma questão comercial entre profissional e empresa.

Sobre a situação da falta de pagamento dos médicos e hospitais credenciados, a assessoria de imprensa da Agemed informou que está passando por uma reestruturação interna, o que ocasionou a renegociação de diversos contratos. E que as novas contratações estão sendo feitas com pagamento à vista, com renegociação de preços.

Entre as instituições que ainda estão atendendo o plano de saúde estão: Hospital São Judas, Hospital Santa Rita, Hospital Otorrino, Hospital dos Olhos, Clínica Vida, Madre Vida, Mega Saúde, Laboratório Exames, Cadim e Imedi.

A operadora de saúde também deixou um telefone de contato específico para os usuários que tiverem problemas com o atendimento: 0800 943 4444. Fonte OLIVRE

 

 

Redação cuiabahoje