Com objetivo de divulgar o setor de produção de celulose e quais são as expectativas para a região de Alto Araguaia (MT), foi realizado o evento Araguaia Florestal: Desafios e Perspectivas e contou com a participação, Sistema Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt, Senai, Sesi e Iel), Senar, Cooperflora Brasil, Prefeitura de Alto Araguaia, Câmara Municipal e com o apoio da Euca Energy

No evento foi apresentada a importância e relevância para o desenvolvimento socioeconômico e ambiental para região da instalação de um polo de produção de celulose na região. Sócio da Euca Energy, Marcelo Amborgi destacou que o evento cumpriu seu objetivo e conseguiu reunir todos aqueles que podem estar ligados diretamente ou indiretamente com o projeto. “A intenção era desmistificar algumas informações, atualizar as pessoas e entender o processo, pois é um projeto grande, que existem passos a serem seguidos e que necessitam serem bem feitos, com padrões internacionais de qualidade, segurança e de meio ambiente”, disse.

Um dos palestrantes do dia foi o secretário de Desenvolvimento Econômico de Ribas de Rio Pardo, Diógenes Marques que falou sobre as experiências adquiridas no polo de produção de celulose da região Costa Leste do Mato Grosso do Sul. “Tem que se pensar não só na produção e na floresta plantada, mas também na questão de saúde pública, o tratamento sanitário com o esgoto, na educação, pois impacta no IDEB e no IDHA da cidade. E que os empresários busquem qualificação, com a parceria do sistema S, que pode gerar oportunidade de emprego para quem é da cidade e não só para quem é de fora”, explicou.

A atualização sobre o processo de implantação do polo de produção de celulose ficou a cargo do executivo da Maxitree, Richard Respondovesk, que divulgou status recentes de cada área do projeto. “Nós já estamos com praticamente com 100% da floresta prospectada, faltando apenas assinar os contratos, porque agora só dependemos da entrada do investidor de fato e com relação as terras já temos cerca de 70% já assinado em contrato e 30% dos processos próximos da assinatura”, explanou.

O diretor geral do Serviço Florestal Brasileiro, Valdir Colatto disse que o Governo Federal vê com bons olhos este tipo de iniciativa e projeta apoio. “Temos apenas 1,2% de floresta plantada em nosso território, ou seja, 10 milhões de hectares e precisamos chegar ao dobro disso rapidamente. O Serviço Florestal Brasileiro vai dar todo o apoio e o Ministério da Agricultura para ajudar a fomentar”, disse.

Na área de pesquisas, a professora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Elaine Cristina Lengowski falou sobre o desenvolvimento de estudos sobre a produção de celulose.  “ A universidade pode estar atuando diretamente nos problemas da indústria, pesquisando o desenvolvimento de tecnologias nos mais diversos setores, seja na silvicultura, melhoramento florestal ou de tecnologia, pois são os grandes gargalos e podemos atuar neste sentido”, comentou.

O CEO da Euca Energy, Gilberto Goellner ressaltou que o evento Araguaia Florestal: Desafios e Perspectivas alcançou seu objetivo de aproximar todos os segmentos envolvidos dando um impulso no andamento do projeto. “Os futuros parceiros na produção de eucalipto e a comunidade em geral conheceram melhor o projeto e nós acreditamos que com isso vai dar uma certeza que Alto Araguaia e região vão sair ganhando e muito, com desenvolvimento deste projeto”, finalizou. O Araguaia Florestal foi realizado no último dia 22 de novembro.

 

Por; Cairo Lustoza / Foto; Reprodução