Para atuar com Produção Integrada (PI) nas culturas do feijão e de outras leguminosas de grão seco (pulses), o pesquisador da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Valter Martins de Almeida, e o extensionista da empresa, Dionei Ribeiro, receberam habilitação e tornaram-se os primeiros responsáveis técnicos e auditores das culturas no Estado de Mato Grosso. A Produção Integrada é um conjunto de normas que envolvem técnicas de produção e um sistema de certificação de procedência e rastreabilidade de alimentos.

O pesquisador Valter, que atua na pesquisa, difusão e transferência de tecnologia da cultura do feijão há mais de 30 anos, fala que o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (Crea-GO), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) realizaram um curso com ênfase no cultivo do feijão comum. Ele explica que já existem normas técnicas específicas para o exercício dessa atividade e destaca os outros pulses, como o feijão-caupi e o grão-de-bico.

O curso foi realizado em Goiânia (GO), dividido em três módulos: 1) Conceitos e princípios da Produção Integrada; 2) Gestão e legislação; e 3) Processo produtivo. Foi dedicado à prática no campo com o foco no processo de auditoria de propriedades rurais em áreas de feijão e grão-de-bico.

De acordo com Martins, o objetivo da PI é agregar valor e atestar a segurança e a qualidade de produtos advindos do campo, além de promover a conservação ambiental, a gestão da produtividade, a competitividade e a minimização dos riscos quanto à segurança do agricultor dos trabalhadores, e especialmente da saúde do consumidor. O extensionista Dionei, que atua no município de Nova Mutum, esclarece que o responsável técnico tem papel importante na certificação das Boas Práticas Agrícolas, desde os preparativos do plantio até as operações de pós-colheita, no manejo dessas culturas.

O curso contou com a participação de representantes de vários Estados.

Conforme Ribeiro, como proposta da Embrapa para auxiliar na adoção e introdução da produção integrada de feijões, a empresa disponibilizou em seu aplicativo gratuito, chamado “Dr. Feijão”, disponível na plataforma digital Android e iOS, o cadastro dos profissionais habilitados na PI de feijões e outros pulses, com localização em tempo real e dados profissionais para contato. O produtor interessado pode entrar em contato com a Empaer pelos telefones (65) 3648 9271(Núcleo de Laboratórios) e escritório regional em Sinop (66) 3531 1611, ou procurar um escritório mais próximo de seu município.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Estado de Mato Grosso tem uma área total de 224 mil hectares de feijão com uma produção de mais de 347 mil toneladas. O feijão comum tem uma área 105 mil hectares e uma produção de 212 mil toneladas.

 

Por; Rosana Persona | Empaer | MT