Dyego Coelho precisou de dois treinos para mudar a cara do Corinthians nessa quarta-feira. O técnico interino escolhido pela diretoria para comandar o time até a chegada de Tiago Nunes mexeu na escalação, na formação e conseguiu melhorar até o comportamento dos atletas em campo.

O resultado foi uma vitória sofrida por 3 a 2, na Arena de Itaquera, em cima do Fortaleza, que apesar dos sustos atrás, acabou com o jejum de triunfos do alvinegro, que já perdurava oito partidas no Campeonato Brasileiro

Boselli comemora seu segundo gol na partida.
Boselli comemora seu segundo gol na partida.
Foto: Daniel Vorley / AGIF / Estadão
Agora, depois de 31 rodadas, o Corinthians soma 48 pontos e, por ora, fica na sexta posição. Já o Leão, que vinha de quatro partidas sem perder, estaciona nos 36 pontos e na 13ª colocação.

De bater o olho já deu para perceber muitas mudanças no Corinthians em relação ao time que vinha sendo comandado por Fábio Carille. Ralf e Gustavo foram sacados, Pedrinho ganhou liberdade para flutuar pelo meio e Michel posicionado quase como um ponta.

Além disso, a postura e a formação também eram novas. Marcação alta, muita posse de bola, com ocupação do campo de ataque até mesmo com os 10 jogadores de linha. De fato, se viu um novo Corinthians.

Algumas deficiências individuais, porém, voltaram a se repetir. E uma delas, no caso duas, de Manoel e Urso, Bruno Melo deixou Romarinho na boa para abrir o placar no contra-ataque mortal dos visitantes.

A resposta não demorou. Um chute torto de Pedrinho caiu nos pés de Boselli, que frio, não desperdiçou e deixou tudo igual.

O bom primeiro tempo do Corinthians foi premiado com a virada logo no início da etapa final graças a cabeçada de Júnior Urso depois de jogada do garoto Clayson. Na comemoração, o volante tirou a camisa, desabafou e levou o amarelo.

O ritmo alvinegro, então, caiu. O Fortaleza cresceu, aproveitou os espaços e de novo colocou igualdade no placar graças a uma pitada de sorte. Kieza marcou seu primeiro gol com a camisa do Leão depois de defesaça de Walter em bola desviada. Bruno Melo, de novo, foi o autor da assistência.

Imprevisível. Assim estava o jogo, quando Clayson, que entrara há pouco, levantou a bola na área e viu Mauro Boselli, entre dois zagueiros, mandar de cabeça, no ângulo. A Arena explodiu em êxtase.

O velho sofrimento e um gol inacreditável desperdiçado por Pedrinho fez partes dos minutos finais e só deu ainda mais sabor para a vitória corintiana que findou o jejum de oito partidas sem sair de campo com os três pontos.

Agora, o foco é todo no Derby com o Palmeiras, sábado, às 19h, no Pacaembu. O Fortaleza também tem clássico pela frente. No domingo, encara o Ceará, às 19h, no Castelão.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 3 x 2 FORTALEZA

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)

Horário: 19h30 (de Brasília)

Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)

Assistentes: Alessandro Alvaro Rocha de Mato (Fifa-BA) e Jean Marcio dos Santos (RN)

VAR: Adriano Milczvski (PR)

Cartões amarelos: Júnior Urso, Gabriel (COR); Marlon, Felipe Alves, Felipe (FOR)

Público/Renda: Pagantes: 22.208 / Total: 22.453 / Renda: R$ 828.518,80

GOLS:

Corinthians: Boselli, aos 36 minutos do 1T e aos 26 minutos do 2T, e Urso, aos 2 minutos do 2T.

Fortaleza: Romarinho, 33 minutos do 1T, e Kieza, aos 6 minutos do 2T.

CORINTHIANS: Walter; Michel Macedo, Manoel, Gil e Danilo Avelar; Gabriel, Júnior Urso (Ramiro), Janderson, Pedrinho e Mateus Vital (Clayson); Boselli (Gustavo). Técnico: Dyego Coelho (interino)

FORTALEZA: Felipe Alves; Tinga, Quintero, Paulão e Bruno Melo; Felipe, Juninho e Marlon (Nenê Bonilha); Romarinho (Edinho), Osvaldo (Matheus Alessandro) e Kieza. Técnico: Rogério Ceni.

 

Foto: Daniel Vorley / AGIF / Estadão