08/01/2019 – Mesmo já tendo uma profissão definida, o policial civil Wallace Eduardo Montes Soares Fernandes, de 34 anos, almeja uma vaga na Procuradoria Geral do Estado (PGE). Para isso, quando não está de plantão no trabalho, ele já tem um destino certo para os momentos de estudo: a biblioteca do Tribunal de Justiça de Mato Grosso. A unidade reabriu as suas portas nesta segunda-feira (7 de janeiro) e seguirá funcionando de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h.

O período matutino (8h às 12h) é reservado ao público interno e, das 12h às 19h, a biblioteca passa a atender também visitantes externos, como universitários e concurseiros.

“Há quatro meses eu comecei a vir aqui. O local é bom, oferece espaço individualizado, o que é importante para ter mais concentração no estudo. A biblioteca também tem muitos livros, oferece conforto e tranquilidade para que a gente possa se dedicar aos estudos. Aqui é muito bom”, afirma Wallace.

Cursando dois cursos superiores ao mesmo tempo (Direito e História), a universitária Raisha Conceição Silva, de 20 anos, já frequenta a biblioteca há muitos anos. Para ela, o espaço oferecido pelo Judiciário é incrível. “Aqui eu me sinto confortável, acho que é uma questão importante para quem estuda, porque a gente passa muito tempo sentado. Segundo porque a infraestrutura é muito boa, a iluminação é boa, sempre tem mesa e livro atualizado disponível”, salientou.

Para quem é da área do Direito, ela cita que a biblioteca oferece livros atualizados, como o códigos, livros de teoria e jurisprudência. “Aqui é bem completo. Não preciso comprar livros, posso vir aqui. As pessoas não precisam ter medo de vir ao Tribunal, às vezes têm receio porque é um ambiente do Judiciário e tal, mas não precisa ter medo e nem ser só da área do Direito”, afirma.

Nos últimos dois anos a Biblioteca “Desembargador Omar Rodrigues de Almeida” registrou a presença de 6.766 visitantes. O espaço oferece o apoio de sete funcionários e possui 32 baias de estudo com tomadas individualizadas, espaço exclusivo para leitura com luminárias próprias, tratamento acústico das paredes, sistema de climatização, iluminação em LED, guarda-volumes com chaves e um jardim vertical.

Segundo a servidora Sebastiana Leda de Souza Pinto, atualmente o acervo possui 18.977 exemplares, sendo 12.877 obras e 6.100 periódicos.

Por; Lígia Saito/Fotos: Adilson Cunha