“Cuiabá é a terra do abraço, do calor humano e está pronta para recebê-los. Sejam todos abraçados pelas asas do tuiuiú, ave símbolo do nosso pantanal, senhores corregedores-gerais”, acolheu a presidente do Colégio Permanente de Corregedores-Gerais dos Tribunais de Justiça do Brasil (CCOGE) e corregedora-geral da Justiça de Mato Grosso, Maria Erotides Kneip, na solenidade de abertura do 71º Encontro do Colégio Permanente de Corregedores-Gerais de Justiça do Brasil

 

“Cuiabá é a terra do abraço, do calor humano e está pronta para recebê-los. Sejam todos abraçados pelas asas do tuiuiú, ave símbolo do nosso pantanal, senhores corregedores-gerais”, acolheu a presidente do Colégio Permanente de Corregedores-Gerais dos Tribunais de Justiça do Brasil (CCOGE) e corregedora-geral da Justiça de Mato Grosso, Maria Erotides Kneip, na solenidade de abertura do 71º Encontro do Colégio Permanente de Corregedores-Gerais de Justiça do Brasil (ENCOGE). A cerimônia foi realizada na noite de quarta-feira (30 de março), no Plenário do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

 

Os corregedores-gerais e representantes de todas as unidades federativas do país se sentiram em casa com a recepção preparada pelos anfitriões. Na entrada oficial, cada um deles foi acompanhado por um cadete da Academia de Polícia Militar Costa Verde, que carregava a bandeira do Estado do corregedor. O ritmo da marcha do cadete era definido pelo bumbo da Banda da Polícia Militar de Mato Grosso, que executava o hino estadual em deferência ao membro do CCOGE.

 

Devidamente posicionados, os corregedores-gerais da Justiça de todo o país foram acolhidos pelo presidente do TJMT, desembargador Paulo da Cunha. “Além de ser um momento de muitas trocas entre as corregedorias, é de grande importância a realização do ENCOGE no nosso Estado para que o Brasil nos conheça, veja a nossa realidade e as nossas boas práticas”, declarou. Paulo da Cunha então apresentou Cuiabá como o centro geodésico da América do Sul e Mato Grosso como o único estado brasileiro a possuir três biomas naturais: Pantanal, Cerrado e Amazônia. Para o presidente, quem realmente ganha com a realização do evento é a população. “Daqui, saem boas práticas em prol da sociedade”, afirmou. Leia o discurso completo do presidente aqui.

 

O presidente do TJMT foi o primeiro homenageado a receber a Medalha Décio Antônio Erpen, pelos relevantes serviços prestados à magistratura e ao Poder Judiciário. A honraria foi entregue pela desembargadora Maria Erotides. Outros cinco desembargadores, ex-membros do colégio, também foram condecorados pelos relevantes serviços prestados no desempenho das atribuições enquanto corregedores. São eles: Sebastião de Moraes Filho (MT), José Olegário Monção Caldas (BA), Luiz César Medeiros (SC), Daniel Ribeiro Lagos (RO), Tasso Caubi Soares Delabary (RS). As medalhas foram entregues pelos membros da Comissão Executiva do CCOGE: Maria Erotides Kneip (MT), Eugênio Achille Grandinetti (PR), Julizar Barbosa Trindade (MS), Regina Célia Ferrari Longuini (AC) e Gilberto Marques Filho (GO).

 

Toda a solenidade foi acompanhada pelo governador Pedro Taques, que discorreu sobre Mato Grosso. “O nosso Estado é um gigante em todos os sentidos. Seja na extensão territorial, na produção econômica e na qualidade das pessoas”, defendeu. Segundo o governador, Mato Grosso é responsável por 88% da produção de diamante do país, 78% do milho de pipoca, 65% do girassol, 59% do algodão, 39% do milho, 35% da soja e 27% do pescado, além de ter o maior rebanho bovino do Brasil, com 29 milhões de cabeças. “Somos um Estado muito rico e com muitos desafios a serem superados”, alertou. Pedro Taques enfatizou também as qualidades do Poder Judiciário estadual. “Quero dizer aos senhores, que de fora vieram: temos um Judiciário que é sério e orgulha o povo de Mato Grosso. Temos juízes e juízas que cumprem a Constituição”, afirmou.

 

O governador compôs a mesa de honra da abertura do 71º ENCOGE ao lado do presidente Paulo da Cunha, da corregedora Maria Erotides Kneip, do juiz auxiliar da Corregedoria Nacional de Justiça, desembargador Rui Ramos (TJMT) – que representou a ministra Nancy Andrighi, da presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), desembargadoraMaria Helena Gargaglione Póvoas, do presidente da Associação Mato-grossense dos Magistrados (Amam), José Arimatea Neves Costa, de secretários de Estado, representantes do Ministério Público, da Defensoria Pública e da Ordem dos Advogados do Brasil – seccional de Mato Grosso. Ainda participaram do evento desembargadores, juízes e servidores.

 

Expectativa – “Esse encontro tem como objetivo a troca de ideias e experiências, o compartilhamento de boas práticas desenvolvidas em cada um dos tribunais. Quando a gente se junta, melhores ideias surgem para a transformação da nossa Justiça”, argumentou a corregedora-geral da Justiça do Acre, desembargadora Regina Célia Ferrari Longuini. Essa expectativa é reforçada pelo corregedor-geral da Justiça de Minas Gerais, Antônio Sérvulo dos Santos. “Para nós, corregedores, é um momento sem igual, quando trocamos boas práticas, trazemos e levamos conhecimento. A cada encontro que participo, aprendo uma coisa a mais e levo novidades, inovações e aprendizados para Minas Gerais”, revelou o corregedor, ao destacar projetos desenvolvidos no Estado voltados para a melhoria da prestação jurisdicional.

 

Missa – Horas antes da abertura do evento, foi celebrada uma missa em ação de graças pela realização do evento em Cuiabá, a pedido da presidente do Colégio Permanente de Corregedores-Gerais dos Tribunais de Justiça do Brasil (CCOGE) e corregedora-geral da Justiça de Mato Grosso, Maria Erotides Kneip. O padre Jair Fante rezou para que as reflexões dos corregedores sobre a Gestão da Jurisdição contribuam para a entrega de uma justiça mais eficiente e melhor. Participaram corregedores, desembargadores, juízes, servidores e convidados.

 

 

Ana Luíza Anache | Fotos: Agência F5

(ENCOGE). A cerimônia foi realizada na noite de quarta-feira (30 de março), no Plenário do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

 

Os corregedores-gerais e representantes de todas as unidades federativas do país se sentiram em casa com a recepção preparada pelos anfitriões. Na entrada oficial, cada um deles foi acompanhado por um cadete da Academia de Polícia Militar Costa Verde, que carregava a bandeira do Estado do corregedor. O ritmo da marcha do cadete era definido pelo bumbo da Banda da Polícia Militar de Mato Grosso, que executava o hino estadual em deferência ao membro do CCOGE.

 

Devidamente posicionados, os corregedores-gerais da Justiça de todo o país foram acolhidos pelo presidente do TJMT, desembargador Paulo da Cunha. “Além de ser um momento de muitas trocas entre as corregedorias, é de grande importância a realização do ENCOGE no nosso Estado para que o Brasil nos conheça, veja a nossa realidade e as nossas boas práticas”, declarou. Paulo da Cunha então apresentou Cuiabá como o centro geodésico da América do Sul e Mato Grosso como o único estado brasileiro a possuir três biomas naturais: Pantanal, Cerrado e Amazônia. Para o presidente, quem realmente ganha com a realização do evento é a população. “Daqui, saem boas práticas em prol da sociedade”, afirmou. Leia o discurso completo do presidente aqui.

 

O presidente do TJMT foi o primeiro homenageado a receber a Medalha Décio Antônio Erpen, pelos relevantes serviços prestados à magistratura e ao Poder Judiciário. A honraria foi entregue pela desembargadora Maria Erotides. Outros cinco desembargadores, ex-membros do colégio, também foram condecorados pelos relevantes serviços prestados no desempenho das atribuições enquanto corregedores. São eles: Sebastião de Moraes Filho (MT), José Olegário Monção Caldas (BA), Luiz César Medeiros (SC), Daniel Ribeiro Lagos (RO), Tasso Caubi Soares Delabary (RS). As medalhas foram entregues pelos membros da Comissão Executiva do CCOGE: Maria Erotides Kneip (MT), Eugênio Achille Grandinetti (PR), Julizar Barbosa Trindade (MS), Regina Célia Ferrari Longuini (AC) e Gilberto Marques Filho (GO).

 

Toda a solenidade foi acompanhada pelo governador Pedro Taques, que discorreu sobre Mato Grosso. “O nosso Estado é um gigante em todos os sentidos. Seja na extensão territorial, na produção econômica e na qualidade das pessoas”, defendeu. Segundo o governador, Mato Grosso é responsável por 88% da produção de diamante do país, 78% do milho de pipoca, 65% do girassol, 59% do algodão, 39% do milho, 35% da soja e 27% do pescado, além de ter o maior rebanho bovino do Brasil, com 29 milhões de cabeças. “Somos um Estado muito rico e com muitos desafios a serem superados”, alertou. Pedro Taques enfatizou também as qualidades do Poder Judiciário estadual. “Quero dizer aos senhores, que de fora vieram: temos um Judiciário que é sério e orgulha o povo de Mato Grosso. Temos juízes e juízas que cumprem a Constituição”, afirmou.

 

O governador compôs a mesa de honra da abertura do 71º ENCOGE ao lado do presidente Paulo da Cunha, da corregedora Maria Erotides Kneip, do juiz auxiliar da Corregedoria Nacional de Justiça, desembargador Rui Ramos (TJMT) – que representou a ministra Nancy Andrighi, da presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), desembargadoraMaria Helena Gargaglione Póvoas, do presidente da Associação Mato-grossense dos Magistrados (Amam), José Arimatea Neves Costa, de secretários de Estado, representantes do Ministério Público, da Defensoria Pública e da Ordem dos Advogados do Brasil – seccional de Mato Grosso. Ainda participaram do evento desembargadores, juízes e servidores.

 

Expectativa – “Esse encontro tem como objetivo a troca de ideias e experiências, o compartilhamento de boas práticas desenvolvidas em cada um dos tribunais. Quando a gente se junta, melhores ideias surgem para a transformação da nossa Justiça”, argumentou a corregedora-geral da Justiça do Acre, desembargadora Regina Célia Ferrari Longuini. Essa expectativa é reforçada pelo corregedor-geral da Justiça de Minas Gerais, Antônio Sérvulo dos Santos. “Para nós, corregedores, é um momento sem igual, quando trocamos boas práticas, trazemos e levamos conhecimento. A cada encontro que participo, aprendo uma coisa a mais e levo novidades, inovações e aprendizados para Minas Gerais”, revelou o corregedor, ao destacar projetos desenvolvidos no Estado voltados para a melhoria da prestação jurisdicional.

 

Missa – Horas antes da abertura do evento, foi celebrada uma missa em ação de graças pela realização do evento em Cuiabá, a pedido da presidente do Colégio Permanente de Corregedores-Gerais dos Tribunais de Justiça do Brasil (CCOGE) e corregedora-geral da Justiça de Mato Grosso, Maria Erotides Kneip. O padre Jair Fante rezou para que as reflexões dos corregedores sobre a Gestão da Jurisdição contribuam para a entrega de uma justiça mais eficiente e melhor. Participaram corregedores, desembargadores, juízes, servidores e convidados.

 

 

Ana Luíza Anache | Fotos: Agência F5